“E a culpa não é minha / nem de onde estava / ou de como me vestia”

UN VIOLADOR EN TU CAMINO

A música e coreografia “Un violador en tu camino”, foi apresentada ao mundo durante o período de protestos no Chile no ano de 2019, os quais também tiveram seu estopim devido ao aumento abusivo da tarifa do transporte público, relembrando a nós, brasileiros, os protestos de junho de 2013.

Em meio à comoção social que já estava instalada no país, o coletivo chileno de mulheres Lastesis, na semana do dia 25 de novembro, dia internacional de combate à violência contra mulher, lança o que, em pouco tempo, seria declarado um hino do movimento feminista, reproduzido por diversos grupos de mulheres ao redor do mundo.

Foto do site: https://los40.cl/2019/las-tesis-nona-fernandez-conversatorio-37274.html

Uma das criadoras da performance, integrante do Lastesis, Cometa, em entrevista ao site da BBC, diz que “É uma crítica às instituições que mantém o patriarcado, principalmente à Justiça, que é pensada, construída e executada por homens, que proíbem o aborto e se omitem na hora de punir a violência contra mulher, principalmente a violência doméstica e o feminicídio”, é uma pauta que remete ao internacionalismo da causa.

É muito simbólico que tal música tenha sido considerada em tão pouco tempo um hino feminista, uma música que surge no âmago de uma revolta popular em um país latino americano, sendo reconhecida em tantas outras realidades, uma letra que escancara a sociedade patriarcal e suas instituições. Uma performance que desmascara o violador, o violador é um juiz, é o Estado, é o Presidente, são os mantenedores do machismo que se estrutura na submissão da mulher, subjugando-a pela violência.

A letra também trata da violência sexual, reforçando nesse refrão: Y la culpa no era mía, ni dónde estaba ni cómo vestía, a existência de um tentativa massiva de culpabilização da vítima, questionando o comportamento da mulher para condená-la.

Un violador en tu camino continua sendo reproduzida por movimentos de mulheres em todo mundo, pois, por mais diversas que sejamos, há uma estrutura social violadora de nossos direitos em nosso caminho.

REFERÊNCIAS

https://www.youtube.com/watch?v=aB7r6hdo3W4

https://midianinja.org/news/el-violador-eres-tu-o-que-e-a-performance-que-o-mundo-esta-reproduzindo/

https://es.wikipedia.org/wiki/Un_violador_en_tu_camino

https://elpais.com/sociedad/2019/12/07/actualidad/1575750878_441385.html

https://www.cartacapital.com.br/diversidade/o-estuprador-e-voce-musica-feminista-contra-violencia-percorre-o-mundo/

https://www.bbc.com/portuguese/geral-50711095

https://outraspalavras.net/outrasmidias/chile-a-danca-feminista-atravessa-fronteiras/

https://www.youtube.com/watch?v=zeqEg673_Bc


Cristiane Duarte


Advogada feminista, atuante na área de direito de família e na defesa dos direitos das mulheres.

46 visualizações

Endereço:
Rua Doutor Enéas de Carvalho Aguiar, 237 - Jardim América

Fone: (16) 3325-1888
Cel.: (16) 99451-4774
Email:  contato@centrodeestudosfridakahlo.com.br

Quer saber mais?

Fone: (16) 3325-1888

Cel.: (16) 99451-4774